Huma

Conciliar trabalho e estudo exige organização

Mercado
26/02/2013

Com a volta às aulas recomeça também o dia a dia puxado dos jovens que têm de se dividir entre o estudo e o trabalho – e ainda tentar deixar um tempinho livre para os amigos, os passeios, as paqueras... E para que tudo saia de forma a não “queimar o filme” com chefes e professores, a organização e a boa divisão do tempo são essenciais. Segundo Eliandra Cardoso, superintendente operacional do Espro – Ensino Social Profissionalizante (instituição mediadora de acesso e integração de jovens a partir de 14 anos ao mundo do trabalho), a questão tanto merece uma atenção especial que os programas de formação de jovens da entidade contam com conteúdos exclusivos sobre o assunto.

Por meio deles, os alunos recebem orientação sobre como se organizar em meio às entregas que lhes são exigidas – tanto na escola quanto na empresa –, além de noções de disciplina, gerenciamento de tempo, importância da organização e até como usar os smartphones. “Esses aparelhos dispõem hoje de vários mecanismos que podem ajudar no gerenciamento de tempo”, comenta Eliandra. “Eles até nos lembram das coisas que temos que fazer.” Para a especialista, quanto mais cedo o tema for introduzido, maiores são as chances de êxito no futuro profissional dos jovens. “Afinal, a gente sempre vai ter que administrar muitas coisas ao mesmo tempo”, diz.

Grande parte do público atendido pelo Espro é formada por adolescentes que buscam o primeiro emprego por meio da Lei do Aprendiz. Nesses casos, Eliandra afirma que a própria legislação se encarrega de ajudar os gestores a compreender a importância de uma balança equilibrada entre a escola e o trabalho. “Tanto que um dos requisitos é que a empresa direcione um tutor, um monitor, para acompanhar as atividades desses jovens”, conta a superintendente. “E tutor, por definição, é aquele que norteia.” Esse gestor também pode receber orientação da instituição mediadora acerca de qual é o seu papel junto ao tutorado, o que inclui noções de como desenhar, junto com ele, um plano de atividades. “Esse recurso acaba sendo um direcionador tanto para o jovem quanto para esse gestor, com relação às atribuições”, esclarece Eliandra.

Falando de tempo


Em algumas empresas, esse papel vai mais longe. Os 310 Jovens Aprendizes, de 16 a 19 anos, que trabalham na Porto Seguro Seguros, por exemplo – 210 deles concentrados na Grande São Paulo –, são colocados em contato com especialistas em organização e gerenciamento do tempo para aprenderem, desde cedo, o peso da ordem no êxito profissional. “O tema é interessante para a empresa também”, reconhece a analista de Treinamento e Desenvolvimento da companhia, Vania Sevila. “Tanto que até o levamos para a liderança – porque um líder sem uma agenda bem organizada e sem conceitos de organização no dia a dia também se atrapalha.”

Esse inclusive foi um dos ganchos para o trabalho com os próprios jovens: exercícios em sala para mostrar como a má divisão do tempo pode acarretar problemas até para o profissional mais experiente. “Além de trazer pessoas que dão essas dicas para os jovens em palestras, os próprios líderes também os apoiam na questão de traçar as prioridades”, conta a Vania. “Os jovens têm a abertura de dizer se estão sobrecarregados e aprendem a separar os momentos para cada uma das tarefas: na escola, no trabalho e na instituição que frequentarem.”

Por mais que a diferença de idade entre um adolescente de 16 anos e um quase jovem adulto de 19 possa afastar um do outro no que toca a seus interesses pessoais, na hora de falar de técnicas de organização da agenda, segundo Vania, a lição é bem parecida – só muda a abordagem. “Com um assunto desses, a gente pode trazer exemplos diferentes, citar realidades condizentes com cada um, mas a essência acaba sendo a mesma”, ela explica. “Conceitos de organização, limpeza e alimentação, por exemplo, não mudam muito, independentemente da idade.”

Diferença entre planejar e administrar


Para o estudante do primeiro ano de ciências da computação, Bruno Sanchez Miguel, de 19 anos, esses ensinamentos são bastante familiares. O jovem, aprendiz na área jurídica de um banco, conta que desde pequeno foi ensinado pelos pais a lidar com o tempo de maneira inteligente. “Isso foi me forçando a planejar o que eu tinha que fazer”, comenta Bruno. O universitário, morador do bairro de Tatuapé, na zona Leste da capital, é grato pela preparação. É ela que o ajuda a enfrentar uma rotina diária de atividades que o faz sair de casa às 7h e voltar só depois da 0h. “Trabalho no banco das 9h às 15h, faço kung fu das 16h às 17h e depois me dedico aos estudos.”

A correria fez do jovem um expert em ganhar tempo. Com a segurança de um especialista, Bruno contou à reportagem que aprendeu a diferença entre planejar e administrar – tanto o calendário quanto a conta bancária. “Não adianta apenas você planejar o seu tempo, você tem que administrá-lo”, ensina. “Às vezes a gente pensa que planejou alguma coisa mal, quando na verdade o que houve foi que não administramos bem nosso planejamento.”

Entre as dicas de Bruno para quem quer fazer o dia render, estão a companhia inseparável de uma agenda e um bom faro para detectar onde os minutos estão sendo desperdiçados. “Em vez de tentar lembrar tudo de cabeça, é melhor anotar, ter uma agenda, um planejamento de tempo por escrito mesmo”, recomenda. “Pode ser no computador, no caderno. Eu uso bastante o smartphone”. O jovem conta também que buscou rotas alternativas de transporte quando descobriu que perdia horas preciosas no trânsito. Suas recomendações são sempre caminhos que incluam a possibilidade de utilizar o metrô e corredores de ônibus.

Dicas

Vania Sevila, da Porto Seguro Seguros, também tem alguns truques simples e que transformam desperdício de tempo em fôlego extra. Um deles é sempre tirar do caminho o que não estiver sendo usado. Deixe em casa o que só pesa na mochila e arquive o que estiver sobrando na mesa de trabalho. “Muitas canetas e cadernos [na bolsa], por exemplo, que só atrapalham o seu dia a dia, vão te deixar mais confuso”, ensina Vera. “Então deixe à mão apenas o que você de fato usa.” Outra dica é sempre reservar um tempo para uma leitura extra. Parece contraditório, mas tentar encaixar mais essa tarefa no dia, segundo Vânia, pode ajudar a tirar as outras de letra. “Muitos autores que abordam o tema da organização mostram o quanto você estar com a mente organizada permite você organizar melhor as suas tarefas no dia a dia”, ela informa. “Ou seja, organizar também a mente, os pensamentos, é uma boa dica – e nada melhor para isso do que a leitura e o conhecimento.”


*Essa notícia foi publicada no site Canal RH, em 21/02/2013

Comentários

X

Receba as principais atualizações do Portal Huma

Fique por dentro das novidades da área de gestão de pessoas. Assine a newsletter do Portal Huma e receba as principais informações da semana!

Enviar

https://www.lg.com.br/