Huma

Confira dicas para gestores jovens gerir subordinados mais velhos

Mercado
03/04/2012

 

O conflito entre gerações é algo bastante comum no mundo corporativo. Os jovens, com sua ânsia por crescer, mudar e criar, e os mais velhos, pacientes, reflexivos e com sua ampla experiência profissional, pensam um pouco diferente, o que, eventualmente, gera bastante conflito.

O problema fica um pouco mais complicado quando quem está no poder é o jovem, lidando com subordinados mais velhos. Para que a relação não saia do controle, é importante observar alguns pontos importantes, como aprender a respeitar o trabalho do outro, reconhecer sua importância e ouvir sem julgar.

Mas, acima de tudo, o gestor mais jovem  deve entender que a principal questão responsável por gerar os problemas nessa relação é o bom e velho ciúme. Isso mesmo. Entender que o mais velho pode estar se sentindo rejeitado pela empresa deve ser o ponto de partida, se o jovem quer criar uma relação saudável e proveitosa para ambos.

Observe os itens que ajudaram a criar uma boa relação quando o gestor é mais jovem do que seus subordinados:

Respeite - um gestor mais jovem tem muitas ideias, grande energia e quer mudar, implantar e melhorar. Mas, nesse processo, esquecem de respeitar o trabalho que já foi feito até então. Isso, possivelmente, criará problemas entre sua gestão e o subordinado mais velho. A dica da diretora da Velasco Soluções em Gestão de Pessoas, Lúcia Velasco, é respeitar, de verdade, o que já foi feito. Só assim você conseguirá ser ouvido pelo mais velhos e fazer as melhorias que deseja.

Reconheça - em muitos casos, os jovens gestores possuem um conhecimento geral maior do que os mais velhos, sendo, inclusive, mais bem informados. Porém, conforme explica a especialista, eles confundem o conhecimento adquirido pela leitura e internet com o conhecimento adquirido por meio de experiência.

Se por um lado são mais jovens, dinâmicos e ansiosos por fazer a diferença, por outro, a experiência só pode ser adquirida com a idade e, portanto, neste caso, os mais velhos ganham. Eles já passaram por diversas experiências ao longo de suas carreiras, “já se casaram, já tiveram filhos, admitiram e demitiram pessoas e tiveram que tomar decisões que o mais jovem não teve oportunidade ainda”, diz Lúcia.

“Essa bagagem muitas vezes não é reconhecida pelo jovem”, diz a especialista. Disso advém dois problemas. Primeiro, você estará jogando fora a oportunidade de aprender com quem sabe, ou seja, com quem já passou por situações que você ainda não vivenciou. E, segundo, fará da relação uma fonte de desavenças e discussões desnecessárias.

Pergunte - você pode ser o gestor, pode estar na posição de mandar e desmandar, mas isso não quer dizer que você tem de deixar de perguntar antes de dizer não. Pergunte ao subordinado por que as coisas são como são, por que foram feitas dessa ou daquela forma. Eles passaram pelo desenvolvimento da área antes de você chegar, logo sabem do processo e de coisas que você não sabe.

Humildade - ter humildade para aceitar o outro normalmente facilita muito as coisas. Lembre-se de que não é só você que pode agregar valor à equipe. “Se ambos forem humildes, farão uma dupla perfeita. Contudo, nem todos estão preparados para ocupar um cargo de liderança”, diz Lúcia.

Dicas gerais - a especialista ainda sugere que o jovem reconheça que cada geração tem sua importância. Não deve ainda criar estereótipos. Se você está gerindo alguém mais velho, isso não quer dizer que seu subordinado é inferior a você de nenhuma maneira. Por fim, a especialista conclui dizendo: “seja humilde e você reduzirá a imagem que as pessoas têm de o jovem ser arrogante e sem experiência”.


Essa notícia foi publicada no InfoMoney, em 02/04/12.


 

Comentários

X

Receba as principais atualizações do Portal Huma

Fique por dentro das novidades da área de gestão de pessoas. Assine a newsletter do Portal Huma e receba as principais informações da semana!

Enviar

https://www.lg.com.br/