Huma

Empresas investem em programas voltados a gestantes e bebês

Mercado
25/01/2012

Com a crescente participação das mulheres no mundo corporativo, atentar para ações que contemplem o bem-estar delas não é mais facultativo. A gravidez, tema de mudanças recentes na legislação e na forma de atuação das companhias, é exemplo disso. “Não existe alternativa a não ser as empresas olharem com cuidado para os assuntos femininos”, afirma Cristiane Machado, psicóloga e consultora em saúde da Torres Associados, consultoria especializada em benefícios. “E nada mais feminino que a gestação. Uma vez reconhecida na condição de gestante, a mulher terá melhores condições de desenvolver seu trabalho”, completa.

A Eurofarma, do setor farmacêutico, foi uma das pioneiras na adoção da licença maternidade de seis meses. A empresa oferece o benefício desde 2008, quando a lei ainda estabelecia a obrigatoriedade dos quatro meses, classificando os outros dois meses como facultativo. “A empresa valoriza o papel da profissional como mãe e dá condições para mulher colocá-lo em prática”, explica Marcia Tanaka, responsável pelas creches da Eurofarma.

Esse é só um dos tantos benefícios que a empresa oferece. Ao voltar da licença-maternidade, as mães têm à disposição uma creche interna. Ao invés de conceder o reembolso para as mães por meio do auxílio-creche, a empresa investe R$ 1,5 milhão por ano na manutenção de duas instalações. Para manter o espaço em funcionamento, a organização gerencia 47 profissionais entre médicos, técnicos de enfermagem, cozinheiras, lactarista, nutricionista, auxiliar de cozinha e coordenador pedagógico. A creche também pode ser utilizada pelos pais, funcionários da empresa. Para Marcia, os resultados práticos endossam a filosofia da companhia de valorizar as mamães. “É nítido o nível de satisfação e comprometimento dos beneficiados e isso já justifica o investimento”, conta.

Durante a gestação, é importante que as mães se alimentem bem e com intervalos máximos de três em três horas. Pensando nisso, em 2005, foi criado o Programa de Alimentação Fracionada, que garante às gestantes duas refeições extras nos restaurantes das unidades da Eurofarma nos intervalos entre café e almoço e entre o almoço e o jantar. Os cardápios são especialmente balanceados e elaborados por uma nutricionista.

Papeis se influenciam

O aleitamento também integra o conjunto de cuidados da empresa para com as mães. As colaboradoras que aderem ao programa recebem o kit amamentação: frasqueira térmica, gelo, adaptador e frascos. A sala de amamentação atende a todos os critérios exigidos por lei e todas as técnicas de enfermagem foram treinadas pela equipe do Banco de Leite do Hospital Zona Sul.

Além desses benefícios, a Eurofarma organiza encontros de gestantes e palestras multidisciplinares que levam às mães informações e orientações sobre os cuidados durante a gravidez e após o nascimento da criança, desde a fisiologia da gravidez até o parto e qualidade de vida da gestante.

Para a consultora Cristiane, esses benefícios são muito positivos. Afinal, além de propiciarem um ambiente de trabalho condizente com o momento de vida da mulher, eles permitem que essas profissionais tenham tranquilidade para exercer dois papeis que se influenciam mutuamente: o materno e o profissional. “Por isso, é cada vez mais comum investir na saúde da mulher e se adequar ao período gestacional e às suas particularidades. Trata-se de uma questão de sobrevivência, na qual as companhias que insistirem em manter as mesmas condições de trabalho na tentativa de ignorar esta realidade fatalmente enfrentarão problemas”, pondera Cristiane.

Essa notícia foi publicada no Canal RH, em 18/01/12.

Comentários

X

Receba as principais atualizações do Portal Huma

Fique por dentro das novidades da área de gestão de pessoas. Assine a newsletter do Portal Huma e receba as principais informações da semana!

Enviar

https://www.lg.com.br/