Huma

Estagiários: investimento a longo prazo

Mercado
09/04/2013

Porta de entrada de jovens universitários no mercado de trabalho, os programas de estágio ganham atenção especial em época de escassez de mão de obra qualificada. Por isso, muitas organizações têm apostado em programas formais para esse público, com uma visão de longo prazo. “O programa de estágio pode garantir a entrada de talentos em diversas áreas de uma companhia - resolvendo a complicada questão do aumento da demanda por profissionais qualificados. Portanto, a seleção desses novatos exige toda a atenção”, explica Marcio Vinycius, consultor da Companhia de Talentos, especializada no recrutamento de jovens profissionais. “Outra vantagem é que, após o término do programa, existem chances de se preencher vagas com pessoas já adaptadas à cultura e aos desafios da organização”, complementa.

Se, para a empresa investir em formação é menos custoso do que trazer um profissional experiente do mercado, para o jovem universitário participar de um programa de estágio é uma ótima oportunidade para iniciar a carreira. “Muitas propostas possuem um robusto quadro de desenvolvimento para que o estagiário, ao se formar, se torne no mínimo um analista qualificado”, afirma Vinycius.

Criado em 2009, o programa de estágio da EDP Energias do Brasil tem como principal objetivo mapear jovens para que, no longo prazo, assumam cargos complexos. “Nossos estagiários são a base de sucessão da empresa. Prova disso é que, a cada três estagiários selecionado, um é absorvido pela companhia”, afirma Débora Aranha, gestora operacional da organização.

Batizado de ON TOP, o programa de estágio da EDP pode ter duração de um ou dois anos, dependendo do ano da graduação que o aluno selecionado estiver cursando. E, para chegar lá, é preciso fôlego. Depois de uma análise do currículo, os selecionados fazem testes on-line de inglês e lógica, participam de uma dinâmica e, por último, passam por uma entrevista. “Buscamos jovens com boa formação superior, abertos a mudanças, que saibam trabalhar bem em equipe e tenham vontade de aprender e de ensinar”, destaca Débora.

No início, o estagiário desenvolve um plano de estágio e, juntamente com um tutor que o acompanhará durante todo o período, define um projeto dentro da área na qual atuará ao longo de todo o programa. Além disso, conta Débora, todos os estagiários participam de um treinamento bimestral, com duração de dois dias, em que são trabalhados temas como novos cenários e desafios do mercado, relacionamento no ambiente de trabalho e marketing pessoal.

Ao final do estágio o jovem apresenta o projeto que realizou para uma bancada de tutores, como forma de avaliação do desempenho. “É uma cerimônia que celebra o final dessa etapa, da qual participam todos os estagiários e seus familiares”, finaliza Débora.

Mais investimento e cobrança

Segundo Vinicyus, juntamente com o maior investimento das companhias na implantação desses programas cresce também o nível de cobrança em relação aos jovens. “As empresas, em geral, têm uma expectativa bastante alta em relação ao perfil deste estagiário. Querem um potencial que agregue valor ao trabalho, realize entregas rápidas e, se possível, seja efetivado na organização”, afirma.

Para justificar tamanha cobrança existem as contrapartidas. Investimentos em programa de desenvolvimento acelerado - como empresas que enviam jovens estagiários para passar alguns meses no exterior -, contratação antes mesmo da formação e benefícios atraentes, como plano de saúde e bolsa auxílio são estratégias que, segundo o consultor, têm crescido bastante nos últimos anos. “As empresas, de um modo geral, vêm investindo agressivamente para não perder talentos”, afirma.

Com tanto investimento visando o longo prazo, não se corre o risco de criar uma rivalidade entre o grupo de estagiários e o de trainee? Para Vinycius, o ideal, nesse caso, é que o RH atue de forma equilibrada, criando programas de desenvolvimento para os dois públicos e possibilitando ao estagiário uma chance real de subir o degrau e se tornar trainee. “Grande parte das empresas convida e incentiva seus estagiários a participarem dos processos seletivos de trainees, o que demonstra uma preocupação legítima de conceder a todos o mesmo direito”, destaca.
 

*Essa notícia foi publicada no site Canal RH, em 04/04/2013

Comentários

X

Receba as principais atualizações do Portal Huma

Fique por dentro das novidades da área de gestão de pessoas. Assine a newsletter do Portal Huma e receba as principais informações da semana!

Enviar

https://www.lg.com.br/