Huma

Feedback é principal ferramenta para se desenvolver no trabalho

Mercado
22/06/2011

Trabalho, trabalho e mais trabalho, mas e o feedback? Um dos elementos fundamentais para o jovem em início de carreira é a avaliação frequente das suas tarefas, pois esta ainda é a única forma de alinhar o trabalho desenvolvido com o que de fato estão esperando de você.

Marshal Raffa, gestor de recursos humanos da Ricardo Xavier, empresa especializada na área de RH, reconhece que, atualmente, muitas empresas deixam o feedback de lado, alegando falta de tempo. No entanto, a avaliação é importante para os dois lados e é o que vai servir como referência para o desenvolvimento do trabalho.

Entendida sua importância, antes de mais nada, o jovem profissional precisa ter consciência que avaliação do seu trabalho não é algo ruim. Apesar das críticas negativas que possa receber, são justamente elas que vão ajudá-lo a melhorar, e, consequentemente, se destacar dentro da corporação.

Acompanhamento

Raffa também observa outra falha importante nesse processo de avaliação. “Muitos gestores dão feedback pontuais sem se preocupar com o acompanhamento”, afirma. De acordo com o gestor, é improdutivo apenas levantar as questões, mas não fazer um acompanhamento delas.

Para que o profissional se desenvolva de fato, ele precisa saber o que faz bem e aquilo que não tem domínio, ou apresenta algumas falhas. Constatados os problemas é preciso acompanhar a evolução, para verificar se o que foi dito também foi entendido e se está no caminho certo.

Como só o acompanhamento vai dizer se está havendo ou não uma evolução no desenvolvimento das tarefas, é primordial que o feedback tenha um periodicidade pré-determinada. Quinzenalmente, mensalmente, bimestralmente, isso quem vai definir é o gestor, mas é importante lembrá-lo.

E se eu não concordar?

Não há nada de errado em não concordar com a avaliação que estão fazendo sobre o seu trabalho. Contudo, muito cuidado com a forma que você vai lidar com isso. Saiba que nada do que está sendo dito deve ser levado para o lado pessoal, a intenção do seu chefe é que você melhore, se aperfeiçoe e siga em frente.

Uma sugestão interessante é deixar claro para o gestor os pontos com os quais você não está de acordo e pedir um tempo. Isso mesmo, peça um tempo de uma semana para refletir sobre o que foi dito. Muitas vezes, quando recebemos uma crítica, não temos a capacidade de julgá-la na hora, e, se formos argumentar, podemos sair perdendo.

Volte para sua mesa e continue seu trabalho normalmente, mas agora, não tire da cabeça aquilo que foi dito. Depois de uma breve reflexão você pode se surpreender, percebendo que na realidade ele tinha razão e era você quem não estava enxergando direito.

Cobre a avaliação

Muitas empresas não têm uma política de avaliação, ou seja, fica a critério do gestor fazer ou não fazer os feedbacks. Se sua empresa for uma delas, a recomendação do gestor da Ricardo Xavier é que o profissional converse com seu gestor e solicite uma avaliação.

Vale ressaltar que feedback é para ser feito pessoalmente, e-mail é uma forma muito fria para ser usado para este fim. Mesmo porque, se já é complicado fazer com que as pessoas entendam o que queremos dizer quando estamos cara a cara com elas, isso fica ainda mais difícil por meio de um computador.

Essa notícia foi publicada no Info Money, em 20/06/2011.

Comentários

X

Receba as principais atualizações do Portal Huma

Fique por dentro das novidades da área de gestão de pessoas. Assine a newsletter do Portal Huma e receba as principais informações da semana!

Enviar

https://www.lg.com.br/