Huma

Funcionário empreendedor é o perfil mais procurado pelas empresas, diz estudo

Mercado
19/08/2013

O conceito de empreendedorismo não é apenas relacionado a uma pessoa ou um grupo de pessoas capacitadas para montar o seu próprio negócio. A busca pelo crescimento profissional dentro da empresa e a vontade de ter seu trabalho valorizado desperta em muitos funcionários o lado empreendedor. É o que mostra um estudo da escola de negócios IDCE (Instituto de Desenvolvimento de Conteúdo para Executivos) realizado com 50 executivos de Recursos Humanos.
 
O levantamento revela que as organizações que buscam desenvolvimento e crescimento nos negócios procuram um novo perfil de funcionário e incentivam internamente os profissionais a empreender, com o intuito de adquirir diferenciais competitivos no mercado.
 
Em um momento onde a concorrência é grande em todos os segmentos de negócios e, principalmente, pela similaridade entre produtos e serviços oferecidos, o empreendedorismo dentro da empresa ganha espaço como forma de inovação que vai desde a melhoria de processos internos até a implementação de grandes projetos. “Este é o diferencial que as empresas buscam hoje em dia, pessoas que façam a diferença”, afirma Fabricio Barbirato, diretor-executivo do IDCE.
 
A pesquisa ouviu dos responsáveis pela contratação e gerenciamento de recursos humanos das empresas o que as organizações valorizam hoje no profissional. “As características requeridas ajudam no crescimento da empresa como um todo. Além do conhecimento e competência técnica desejável para a vaga, o candidato deve ter um conjunto de características que contemplem pró-atividade, comprometimento, visão para ir além de suas obrigações e criatividade. Sendo que esta última não é sinônimo apenas boas ideias: é preciso organizá-las e saber estruturá-las para colocar em prática”, diz Barbirato.
 
Segundo ele, esse perfil, batizado de funcionário empreendedor, denota o profissional que trabalha para o crescimento da empresa como se fosse seu próprio patrimônio. “No âmbito geral, ele tem uma percepção holística da empresa, conhece sua visão e missão, sabe seus objetivos, seus portfólio de produtos, clientes e serviços, conhece sua atuação no mundo e quem são seus concorrentes. Na esfera específica da atividade dele, procura fazer tudo que a empresa determina e sempre tenta trazer algo novo, e o mais importante, procura entender onde o trabalho dele impacta no resultado comercial e financeiro da empresa. Tratam-se de duas esferas complementares, pois se o profissional conhece a empresa que trabalha e seu segmento, consegue criar soluções com mais facilidade para melhorar o seu desempenho e o da organização”, conclui.
*Essa notícia foi publicada no site Click Carreira, em 14/08/2013

 

Comentários

X

Receba as principais atualizações do Portal Huma

Fique por dentro das novidades da área de gestão de pessoas. Assine a newsletter do Portal Huma e receba as principais informações da semana!

Enviar

https://www.lg.com.br/