Huma

Pesquisa revela: casais que trabalham juntos são mais compreensivos

Mercado
05/08/2013

O International Stress Management do Brasil (Isma-BR) realizou um levantamento que mostra que o relacionamento de casais que trabalham em uma mesma empresa é mais agradável. De acordo com a pesquisa, isso ocorre devido à compreensão e ao menor desgaste emocional.

O estudo aponta que 80% dos casais entrevistados que trabalham juntos lidam melhor com as angústias e com a carga horária do companheiro. Em contrapartida, apenas 37% dos parceiros que trabalham em organizações diferentes têm a mesma estabilidade na relação.

O casal Juliana e Carlos Cruz está junto há 22 anos e, há 11, à frente do Curso Pro Labore, especializado em concursos públicos e Exames da OAB. De acordo com eles, é difícil separar a vida profissional da familiar, mas quando existe um objetivo comum essa experiência não prejudica a vida a dois. “Os impactos da convivência constante são positivos, pois ficamos mais tempo juntos e a relação de confiança fica mais fortalecida”, afirma Juliana. Carlos Cruz concorda, e acrescenta: “Trabalhar juntos nos torna mais companheiros, uma vez que a nossa cumplicidade como casal é transferida para o ambiente profissional. Assim, o enfrentamento de dificuldades, sejam em casa ou no trabalho, fica mais fácil”.

Mário Quirino e Lorena Cardoso trabalham juntos há dois anos e estão casados há um. O trabalho no Instituto Você, focado em treinamentos com técnicas da Programação Neurolinguista, não interfere no relacionamento do casal. “Cada um tem seu papel no Instituto. Conseguimos separar muito bem os ambientes. É ótimo trabalhar com ela, pois pensamos igual e compartilhamos o mesmo propósito e visão. Temos uma sinergia muito boa no trabalho, confiança e respeito e isso reflete em nosso casamento”, conta Quirino.

A consultora organizacional e diretora da RHUMO Consultoria, Lara Castro, conta que relacionamentos no ambiente de trabalho não eram bem aceitos, nem para cônjuges nem para outros graus de parentescos, até duas décadas atrás. “Com a maior presença das mulheres no meio profissional e com as configurações modernas de trabalho começou a existir maior flexibilidade em vários quesitos”, afirma. Lara acredita que essas mudanças resultam em melhor qualidade de vida, uma vez que as concessões deixam o ambiente de trabalho mais agradável, contribuindo para o bom clima organizacional e, consequentemente, para resultados mais promissores.

Se bem administrada pelo casal, a parceria pode, inclusive, contribuir para maior eficácia e melhores resultados. “Se o casal tiver opiniões e maneira de pensar muito parecidas ou que se complementem, é possível criar uma dupla imbatível, com resultados ainda mais admiráveis. Mas o resultado satisfatório não deve depender dessa condição”, observa Lara. A conduta do casal, no entanto, deve ser extremamente profissional, sem regalias ou favoritismo caso sejam chefes ou donos, ou um subalterno do outro. Não se deve levar problemas de casa para o serviço e vice-versa. Respeito, maturidade e confiança são fundamentais.

A parceria de sucesso na vida pessoal foi um estímulo para que Sara Bernardes e Cilas Rosa se unissem também no campo profissional. O casal está há 14 anos juntos e há seis comanda as instituições de ensino Escola Superior de Justiça (ESJUS) e Instituto de Educação Superior Lationamericano (IESLA), especializadas em pós-graduação strictu senso internacional. ”Sempre pensamos que o fato de trabalharmos juntos seria uma somatória de forças em prol de um objetivo comum. O companheirismo auxilia no aprofundamento do relacionamento do casal quando os cônjuges possuem maturidade emocional”, avalia Sara. Entretanto, a diretora-presidente da ESJUS e do IESLA reconhece que se trata, também, de um desafio para o casal. “É preciso cuidar de forma zelosa para que os desgastes diários da vida profissional não interfiram na vida a dois. É perigoso quando os cônjuges não tratam os assuntos apenas no âmbito profissional e levam as questões para o aspecto pessoal, envolvendo sentimentos. Por isso, é importante muito bom senso na relação”.

Lara Castro dá dicas de como um casal manter a postura profissional: “não utilizar nomes, apelidos e tratamentos carinhosos; não andar de mãos dadas; não trocar carícias; manter a discrição; não manifestar ciúmes. É importante se socializar com os colegas de trabalho. A relação precisa ser leve e profissional para todo mundo e o relacionamento não pode ser evidente”, finaliza.

A parceira entre o Jairo Alves Lopes Junior e Ana Flávia Lavarini também extrapolou o casamento e foi parar nos negócios. Há mais de dez anos o casal divide a gestão da Pampulha Editora Gráfica e acredita que o principal fator para manter o relacionamento saudável, tanto na empresa quanto em casa, é saber conciliar as demandas do dia a dia e também separar as decisões. “É importante entender que cada decisão deve ser tomada no ambiente certo para não causar confusão ou brigas, assim conseguimos levar com harmonia nossa casa e a empresa”, destaca Ana Flávia.

 


*Essa notícia foi publicada no site Administradores, em 01/08/2013

Comentários

X

Receba as principais atualizações do Portal Huma

Fique por dentro das novidades da área de gestão de pessoas. Assine a newsletter do Portal Huma e receba as principais informações da semana!

Enviar

https://www.lg.com.br/