Huma

Sua carreira e a baixa competitividade do Brasil

Mercado
16/07/2013

*Por Sílvio Celestino



Pelo terceiro ano consecutivo o Brasil caiu no ranking de competitividade internacional. Entre 60 países, estamos agora na 51ª posição em capacidade para atrair negócios. Para a carreira dos profissionais brasileiros isso é uma severa adversidade.

Não é possível fazermos coisas erradas e esperarmos bons resultados. Afinal, há tempos a história é a mesma: começamos o ano com certa expectativa de crescimento e, paulatinamente, vamos diminuindo até dezembro. E, ao final, observamos que crescemos menos que a média mundial, logo, não é difícil aceitar que perdemos cada vez mais posições no ranking de competitividade.

Os motivos são os de sempre: gestão governamental pífia, infra-estrutura precária, pior carga tributária do mundo, entre outros elementos que fazem do Brasil um local desinteressante para investidores.

Se quisermos em algum momento resolver esses problemas, precisamos levar em conta que vivemos em um mundo em constante transformação. Não é possível gerir uma carreira profissional, uma empresa, ou um país, sem observar essas alterações e agir de forma a adaptar-se a elas e agregar valor ao futuro. Por esse motivo, o indivíduo deve pensar em sua carreira com uma mentalidade constante de aprendizado e evolução. Nesse sentido, mesmo quando a realidade é desfavorável devemos fazer um esforço para aprender com ela.

Tenha propósitos elevados

Não é de hoje, que governos no Brasil estão mais preocupados em se perpetuar no poder do que em gerir o país. Na sua carreira, não queira atingir cargos para os quais não está preparado somente para ter mais dinheiro. Tenha propósitos elevados. Sua vida profissional é a respeito do que? Quais problemas você deseja resolver? O que fará pelas gerações futuras?

Quando você define propósitos elevados para si, automaticamente, saberá o que deve aprender e aprimorar para que seja capaz de cumpri-los.

Apresente resultados elevados e consistentes


Qual sua posição no ranking de sua profissão? Você é uma referência para o mercado no qual atua? Não caia na armadilha de pensar que não está em uma competição. Afinal, o que as pessoas que estão na mesma carreira que a sua estão almejando nesse momento? O mesmo que você! Portanto, observe se os resultados que você entrega estão no mesmo nível que seus colegas de profissão. E veja se é capaz de mantê-los nesse nível ao longo do tempo.

Não é difícil apresentar resultados no curto prazo. Difícil é assegurá-los com perenidade e de forma a não causar problemas no futuro. Por exemplo, um gerente de uma planta industrial que deixa de cumprir o calendário de manutenção, apresenta uma grande redução de custos que irá impactar positivamente o resultado do ano. Entretanto, no ano seguinte, a planta apresentará graves problemas de quebras de máquinas e equipamentos, o que forçará paradas de emergência. Isso se não houver acidentes que, em casos extremos, podem ceifar vidas e causar grandes estragos às instalações da empresa.

Lembre-se, você deve assegurar sua carreira ao longo das décadas e adquirir conhecimento para ter renda passiva quando se aposentar. Não deixe sua aposentadoria na mão do governo e não a coloque nos ombros das gerações futuras. Seja responsável por si mesmo.

Seja ético


Não há uma única semana na qual a imprensa não denuncie algum caso de corrupção no governo. Mas, pessoas de má índole estão em todos os setores da economia. Afaste-se delas. Sua carreira não irá progredir se você não souber identificar e afastar-se de profissionais que não jogam pelas regras do jogo. Em geral são indivíduos incompetentes e incapazes de obter renda de outro modo que não seja fraudando regras.

O bom profissional respeita as leis e sabe jogar o jogo empresarial com habilidade e, inclusive, ganhar daqueles que não fazem o mesmo. Lembre-se você não tem liberdade para escolher 100% das pessoas com quem irá se relacionar. Por vezes, terá de conviver com pessoas de má índole ao seu redor. Faça o que for necessário para ganhar delas. Tapetes são puxados ao longo da vida, esteja preparado para saltar no momento apropriado. E, se cair, levante-se! Acostume-se com a frustração de hoje, pois amanhã tem mais. O treino para a vida, de certo modo, nada mais é que suportar as frustrações e fazer o que for necessário para cumprir seus propósitos.

Tenha uma infra-estrutura de alta qualidade

Não economize em sua formação e desenvolvimento. Se você quiser ser um profissional de alto desempenho você terá de investir muito em si mesmo: curso de idioma, especialmente o inglês, boa formação, aprimoramento constante, coaching, viagens internacionais para conhecer o que há de mais moderno em sua área de atuação, check ups regulares, etc.

Do mesmo modo que o Brasil possui sérios problemas provocados por uma infra-estrutura barata e de má qualidade, um profissional que negligencia sua capacitação coloca em risco o futuro de sua carreira. O mundo não para de requerer cada vez mais de todos, portanto, você precisa de uma capacidade sólida para adaptação e aprendizado constantes.

Não seja um profissional barato, alto desempenho custa caro.

Não tente fazer tudo


O governo quer fazer de tudo: ser dono de petrolíferas, bancos, correios, portos, energia, estradas, entre outras inúmeras atividades econômicas. Mas, o que ele faz com competência mesmo é cobrar e fiscalizar tributos. Então, por que se meter nesses outros setores?

Você jamais irá progredir na sua carreira se não souber liderar. Para isso, precisa desenvolver competências essenciais de um líder: ter propósitos elevados, comunicar, delegar, fazer o follow up, dar feedback e ter um rigoroso controle de agenda, entre outras. Você tem de aprender a desenvolver pessoas e, principalmente, desenvolver novos líderes.

Bons líderes formam bons líderes, não seguidores

O importante é que você saiba controlar as ações sob sua responsabilidade, não que você as faça. Para isso, sua carreira tem de se desenvolver para dar conta das complexas atividades de um líder.

Seja confiável

Nosso governo é confuso, as leis tributárias mudam a cada instante, o que dificulta para um investidor saber quanto ganhará ao longo de seu investimento. Ainda por cima, há uma grande insegurança jurídica, pois a legislação é alterada mesmo que afete contratos estabelecidos.

Tenha integridade na sua carreira. Aquilo que você se comprometer a fazer, faça. Não dê desculpas ou explicações. Faça! É impressionante a quantidade de pessoas que se comprometem a fazer inúmeras coisas e não dão conta: de pedreiros a eletricistas, de encanadores a pintores, mas também de prefeitos a presidentes. Prometem demais e entregam pouco.

Na sua carreira, faça o contrário, prometa pouco e entregue muito. Seja extraordinário em tudo que se comprometer a fazer.

Se você quiser ter uma vida marcante, relevante e inspiradora, aprenda em todos os instantes, por mais desfavoráveis que sejam.




*Sílvio Celestino é autor do livro Conversa de Elevador – Uma Fórmula de Sucesso para sua Carreira e sócio-fundador da Alliance Coaching.

Comentários

X

Receba as principais atualizações do Portal Huma

Fique por dentro das novidades da área de gestão de pessoas. Assine a newsletter do Portal Huma e receba as principais informações da semana!

Enviar

https://www.lg.com.br/